Hoje queria-te falar de extreme self-care (ou auto-cuidado extremo) – lol, estas coisas soam sempre melhor em Inglês mas pronto.

Agora tenho andado muito mais atenta a ter cuidado comigo. A verdade é que as mulheres (principalmente) foram muitas vezes “programadas” para tomar conta dos outros, pôr as necessidades dos outros à sua frente, e deixar-se para último lugar.

Isto depois não resulta bem claro, porque só conseguimos dar até um certo ponto. A partir daí, já não estamos bem a dar, porque damos com sacrifício. E isso cria ressentimentos, sentimo-nos mal na situação.

Mas mesmo assim continuamos para a frente, no nosso desejo de sermos boas e ajudarmos os outros e fazermos com que todos gostem de nós.

Durante muito tempo, quando era bem mais nova, isso era mesmo muito importante para mim: Que todas as pessoas gostassem de mim.

Se não gostavam, entrava em pânico, ficava super preocupada – o que é que fiz mal? porque é que esta pessoa está a ser antipática para mim? o que é que lhe fiz?

Depois, quando tinha 15 anos e fui “perseguida” por um rapaz da minha turma nova de Macau, por razão absolutamente nenhuma, percebi que há pessoas que não gostam de nós numa dada altura, e que isso não tem nada a ver conosco, tem a ver com essas pessoas.

E também percebi, depois de muito tentar que a dita pessoa me deixasse em paz a bem, para não levantar ondas, que há pessoas que eu não quero saber se gostam de mim ou não, só quero é que me deixem em paz. E… ainda mais estranho, também há pessoas de quem eu não gosto!

Quando somos mais novos, pelo menos para mim era assim, pensamos que todas as pessoas que nos rodeiam são boas, que não nos vão fazer mal de certeza. Mas depois aprendemos que não é bem assim, há pessoas que nos fazem mal em certas alturas… e de propósito!

Choque! Para mim foi ;)

Mas agora percebo que é melhor assim, é mais justo, podermos gostar ou não de alguém e alguém poder gostar ou não de nós. E se não gostar, adeus até à próxima, afinal também não gosto assim tanto de ti ;)

Continuando com o auto-cuidado, percebi que é preciso pormo-nos à frente. Não só das pessoas que não gostamos, mas também das pessoas que gostamos. É que não podemos estar lá mesmo para as pessoas que gostamos, se não tratarmos de nós primeiro. Se estivermos esgotadas, cansadas e até deprimidas.

E é o que acontece, quando as nossas necessidades e desejos ficam sempre para depois. Para quando tivermos mais tempo, menos responsabilidades e menos problemas – ou seja, para nunca!

Este mês estou a fazer um exercício de extreme self-Care que é escrever num bloco pequeno que tenho na mala, onde é que me sinto privada de coisas, quando alguma coisa me irrita durante o dia.

Ontem aconteceu-me mesmo isso. E percebi que no meu desejo de proteger os meus filhos e ajudá-los e estar lá para eles, os tenho protegido demais, ajudado demais e estado lá para eles demais. Percebi que tenho que os ensinar a ser mais independentes e não chamarem a mãe para tudo. É que já são todos adolescentes, afinal :)

Em relação ao estilo e moda, cuidar da nossa imagem, escolher um conjunto bonito, ter tempo para arranjar o cabelo, ir ao cabeleireiro, fazer uma massagem, pôr creme no corpo, tudo isso também faz parte do auto-cuidado extremo. Esse auto-cuidado deve ser exterior e interior. São os dois parte de nós.

Noutro dia li uma frase que gostei muito: “A beleza cura o mundo”

É de uma pintora que sentia que o seu trabalho não tinha grande significado, por ser só criar coisas bonitas. E depois percebeu que tinha muito significado porque na vida dela, sempre procurou beleza e é a beleza que a faz sentir feliz.

Adorei porque sinto o mesmo. Desde sempre procuro ambientes, paisagens, detalhes, tudo o que seja bonito. Porque a beleza me dá paz, calma e inspiração e muitos outros sentimentos que desejo sentir.

A nossa beleza também faz parte dessa inspiração, sentir bem e calma. Quando nos sentimos bonitas, também nos sentimos mais felizes. Por isso sim, a beleza é importante, muito importante até :)

Por isso, continua a reservar tempo para cuidares de ti. Por exemplo de manhã, usa creme hidratante, maquilhagem se quiseres, escolhe um conjunto giro que te faz sentir bem e com estilo. Não é só isso que interessa, mas isso interessa muito também!

Beijinhos,
Lena*

P.S. Como adoro saber que músicas as pessoas andam a ouvir, aqui está a que tenho estado a ouvir desde ontem: Live like a warrior – Matisyahu.

P.P.S. Podes ver o post da pintora de que falei aqui: I used to think being an artist was meaningless.

Photos: Daniel Garcia, Devon Walz

Capítulo Gratuito

Unnamed

Recebe o capítulo gratuito "10 Regras de Styling para Criar Conjuntos Espetaculares" do meu e-book de estilo

Powered by ConvertKit
Author

Write A Comment