Hoje estava sem vontade de fazer nada …

Simplesmente não tinha vontade de trabalhar.

Planeei a semana no sábado: ia acabar o novo programa de estilo e vender na Black Friday.

Era um plano muito simples, por isso sentia-me super bem. Tão simples, nada pode correr mal ;)

Claro, chegou segunda de manhã. Fiz a minha rotina matinal. Tomei o pequeno almoço e tentei fazer uma live no facebook que não correu muito bem, mas tudo ok.

Até que comecei a pensar que tinha que ir trabalhar. E simplesmente não tinha energia …

Já tinha percebido um pouco de falta de energia. Pensei: Talvez beba um matcha ou até mesmo um café (coisas que tento evitar ;)). Talvez tome todos os meus suplementos hoje e me sinta melhor.

De qualquer forma, subi e foi aí que percebi que as coisas não estavam a acontecer ;)

Estava com resistência a 100%. No início nem pensei nisso como resistência. Só cansaço e não querer fazer nada.

Mas enquanto tentava lidar com isso – fui à minha pasta SOS, onde tenho métodos que usei no passado, para lidar com dias como este – começaram a aparecer novas coisas.

Percebi coisas sobre a minha resistência.
Como esta ideia de ter que fazer uma coisa.

Se tenho que fazer o programa de estilo, se tenho que fazer a Black Friday – é certo e sabido que não vou querer fazer isso. Claro, porque não gosto que me digam o que tenho que fazer, mesmo que seja eu própria !!! ;)

Mas também percebi um sentimento triste, um medo de rejeição, que se calhar está sempre lá antes de lançar alguma coisa, de partilhar alguma coisa. Antes de fazer uma coisa nova.

Também sentes isso?

Talvez seja antes de usares aquele vestido que adoras. Ou antes mesmo de o comprar … olhas, achas giro, mas começas a duvidar. Talvez não fique assim tão bem, a <nome de amiga com estilo> comprava isto? E embora te tenhas sentido atraída pelo vestido e achado que era super giro quando o viste pela primeira vez, agora duvidas de ti própria e acabas por não comprar.

Porquê? Se estivesses numa ilha deserta, não compravas o vestido e a seguir usavas, toda contente? Provavelmente sim ;)

Ou talvez seja sobre o teu negócio. Pensas em fazer um programa que achas que vai ser incrível. Todas as pessoas precisam disto, com certeza. Mas depois pensas sobre as coisas que não resultaram. Deixas-te levar por esses sentimentos. E simplesmente desistes. “Dá muito trabalho, provavelmente ninguém quer isto”, e assim por diante …

Em ambas as situações, é apenas o teu ego a tentar proteger-te. De seres criticada e, talvez, rejeitada.

Noutro dia ouvi esta frase:

“Sê Rejeitada!”

Sim, não tenhas medo de ser rejeitada. Pelo menos estás a tentar. Pelo menos estás a sair da tua zona de conforto, a crescer, aprender, a expandir.

Como diz a frase da Brené Brown:

“If you are not in the arena getting your ass kicked on occasion, I am not interested in or open to your feedback. There are a million cheap seats in the world today filled with people who will never be brave with their own lives […] If you’re criticizing from a place where you’re not also putting yourself on the line, I’m not interested in your feedback.”

Tu estás na arena, por isso fica feliz :)

E é indo para a arena que começas a mudar a tua vida e a seres mais quem realmente és.

É uma maneira rápida de conheceres o teu verdadeiro eu!
E ser guiada pelo teu verdadeiro eu também.

Concluindo:

A resistência é boa. Está-te a mostrar que estás no caminho certo, a fazer coisas novas, a arriscar grande.

Sente as emoções, associadas à resistência. Sabe que não há problema em seres rejeitada. Queres ser rejeitada porque, novamente, isso significa que estás na arena.

E, finalmente, continua.

Não deixes que o medo de ser rejeitada te impeça. Continua a fazer as tuas próprias coisas. Esse é o teu caminho para cresceres e seres quem realmente és.

Beijinhos,
Lena

Calma & Com Poder

Recebe o workshop gratuito Calma & Com Poder: Do Medo para Poder. Para poderes alcançar os teus objetivos mais facilmente.

Powered by ConvertKit
Author

Write A Comment